SEJA MEMBRO DO BLOG JOAÍMA

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

A lendária figura do cacique Joahyma, fundador da aldeia que deu origem à cidade, serve de inspiração para nossos ideais de determinação e liberdade.


D. João VI determinou a criação dos quartéis quando declarou guerra aos índios botocudos, e seis divisões militares foram instaladas no Brasil. Em 1811, foi criada a Sétima Divisão Militar que ocuparia a vasta região do Jequitinhonha obrigando os índios - donos da terra - a cederem espaço aos invasores.

Um dos líderes dos índios, o tucháua Joahyma, não se submetendo aos maus tratos impostos por Julião Fernandes, lidera um grupo de índios e deixa a aldeia em São Miguel e instala-se  às margens do ribeirão Àgua Branca, fazendo forte oposição ao domínio português.

Joahyma instala sua nova taba no local posteriormente chamado barro Vermelho. Hoje, São Paulino. Dali, ele opunha resistência aos soldados de Julião que também instalou um quartel Militar do outro lado do rio. Após duras batalhas, nas quais se destacou também, o cacique Ari-Ari aceita a rendição negociada diante da superioridade militar de Julião, dando mostras de grandeza e de sabedoria.
 
Saint-Hilaire, assim descreve o Capitão Joahyma:

"(...) Homem de estatura mediana, astuto, de pele acobreada, que guarda grande semelhança física com os chineses, espírito de liderança e articulador. Seu rosto anunciava graça e vivacidade. Já não usava bodoques  nas orelhas, nem nos lábios, mas não pudera restituir estas partes desfiguradas a forma primitiva. Podia ter uns 40 anos. Quando apresentado por Julião fernandes, levou as mãos de Saint-Hilaire aos lábios  e apertou-o fortemente nos seus braços. Joahyma era o seu nome!(...)"



Ao levar as mãos de Hilaire aos lábios e apertá-lo fortemente nos seus braços, o capitão demonstra que tem um bom coração e que é de paz! E, ao selar a paz com Julião, Joahyma passa a merecer o título de Grande Chefe, aquele que deve ser seguido e imitado.

Para selar a paz, o cacique ofereceu uma de suas filhas ao alferes como sua mulher e reinou harmonia entre as partes. a partir daí, ocorreu o processo de miscigenação das raças e os costumes dos civilizados foram assimilados pelos conquistados.

domingo, 23 de dezembro de 2012

FELIZ NATAL E ABENÇOADO ANO NOVO

Chegamos ao final de mais um ano. Passamos por momentos de alegrias e muitos obstáculos foram superados. Agora é hora de confraternizar na expectativa de um novo ano, com esperanças de grandes realizações.

Que neste NATAL as Famílias sintam mais forte ainda o significado da palavra "AMOR". Que sejamos iluminados pelas luzes da PAZ, da UNIÃO e da SOLIDARIEDADE, transformando os nossos dias, em dias de felicidade.

É tempo de refazer planos, reconsiderar os equívocos e retomar o caminho.
É tempo de PAZ, é tempo de um futuro Venturoso. Que as festas Natalinas sejam de FRATERNIDADE em todos os lares, e que em 2013 as Famílias estejam unidas pela PAZ e pelo AMOR.

Feliz Natal, Feliz e Abençoado Ano Novo.




sábado, 15 de dezembro de 2012

COMPARTILHANDO IMAGENS E POESIA - A FEIRA - ZÉ MIRANDA MURTA


A FEIRA -

Cestas bruacas balaios 
Pencas cordas montes 
A saúde da roça que chega
 Em lombos caixas e sacos... 
Alimentando a cidade amarelos vermelhos 
Hortaliças... verdes vegetais 
Os calos da chuva benéfica 
Enxadas no torrão de fertilidade messe da aldeia 
Urucuns e coentros...condimentos 
Botocudos que plantam 
 Germinam e crescem
                                                                        Ze Miranda Murta Murta