SEJA MEMBRO DO BLOG JOAÍMA

quinta-feira, 30 de junho de 2011

CONCURSO PÚBLICO - 173 VAGAS NA PREFEITURA DE JOAÍMA



No período de 8 de agosto a 8 de setembro, a Prefeitura Municipal de Joaíma - MG vai receber inscrições, por meio da Gazzinelli Consultoria Técnica Ltda., para o Concurso Público da cidade.

Com salários que podem chegar a mais de R$ 4.000,00, são oferecidas 173 vagas em diversas funções para os níveis Fundamental, Médio/Técnico e Superior.
As inscrições poderão ser feitas pela internet no site da Organizadora www.gazzinelliconsultoria.com.br e presenciais, na sede da Prefeitura situada à Praça Dr. Olinto Martins, 160 - Centro, das 8h às 12h e das 14h às 17h.
Os critérios de avaliação constam em três etapas: Prova Objetiva, que será realizada no dia 2 de outubro; Prova de Títulos, apenas para os cargos de Professor PEB I, Professor PEB II e Supervisor Pedagógico e, por fim, Prova Prática para Operador de Máquina Pesada.
Os candidatos poderão se inscrever para mais de um cargo, desde que não coincida o horário das avaliações. A taxa de inscrição varia de acordo com o cargo pretendido, sendo o valor inicial de R$ 38,00 e final de R$ 100,00.
Do número total de vagas, pessoas portadoras de necessidades especiais terão direito a 5%.
Vagas
Advogado (2), Agente Administrativo (4), Agente de Serviços Públicos (29), Assistente Social (2), Auxiliar de Saúde Bucal (5), Auxiliar de Enfermagem (10), Cirurgião Dentista (5), Enfermeiro (5), Farmacêutico (1), Médico Anestesiologista (2), Médico Cirurgião Geral (1), Médico Clínico Geral (4), Monitor de Educação Infantil (7), Motorista (3), Operador de Máquinas Pesadas (1), Psicólogo - Crass/Paif (1), Técnico de Enfermagem (18), Técnico em Higiene Dental (1), Técnico em Radiologia (2), Professor (66), Supervisor Pedagógico (4).

quarta-feira, 29 de junho de 2011

VANILSON REIS (NÉM GUARIBA) - demonstra em sua poesia ser um verdadeiro provinciano, desses que se orgulham da humildade da terra, das casas simples, da culinária tradicional e do jeito manso e despojado dos moradores da região.




A história de Joaíma é linda, como também a luta deste poeta trovador joaimense, que deposita todo amor em seu povo. Com ele passamos a ver nossa cidade em trovas e poemas de uma época tão marcante.

Rápido e apressado com o pensamento, o poeta Joaimense  vanilson reis, ou melhor, Ném Guariba, demonstra em suas poesias ser um verdadeiro provinciano, desses que se orgulham da humildade da terra, das casas simples, da culinária tradicional e do jeito manso e despojado dos moradores da região.Mostrando que neste chão vive uma alegria incontrolável; uma alegria de uma gente que pensa e escreve sua própria história, no seu próprio chão. Este chão de índios, brancos, mulatos, morenos e de todas raças, também de todas as graças.


CAÇADA

Estinlingues
Bodoques
Feitos pelas mãos
Remate sem arrelia.
Satisfação.

A caçada
A pelota de barro
Enrolada na palma da mão.

Os meninos vão alegres
Com mato no peito
Saltando estremas.

Olha os inhambus!!!

No regresso o embornal farto
Com cheiro de sangue
Poeira empapada de sangue.

A farofa
Bocas lambrecadas de farinha
Os contos de vantagem...
Como acertar tão longe?
Que mãos boas!!!
Que mãos certas!!!

Livros do autor VANILSON REIS
JOAÍMA EM VERSOS E POEMAS (1999)
FLORES E PEDRAS (2008)

terça-feira, 28 de junho de 2011

Joaíma nasceu da vontade do governo português de ocupar e proteger as suas posses, no imenso vazio que era o Nordeste de Minas.


Joaíma nasceu da vontade do governo português de ocupar e proteger as suas posses, no imenso vazio que era o Nordeste de Minas. No início do século passado, as cortes de Lisboa resolveram que era necessária uma vigilância maior naquela região da Província de Minas, pois as terras diamantíferas, a grande riqueza local, estavam sendo cobiçadas por aventureiros e caçadores de riqueza fáceis. O Alferes Julião Fernandes Leão se instalou à margem direita do Rio Jequitinhonha, em 1811, e, sua primeira tarefa foi levar a sua fé cristã às inúmeras tribos de índios que habitavam aquelas paragens. Com isso, a catequese dos gentios foi intensificada em toda a região. O comandante procurou agrupar as várias tribos espalhadas, tentando aldeá-las às margens do Rio Jequitinhonha e de seus afluentes. 

Os primitivos habitantes foram índios botocudos, chefiados pelo cacique Joahima. Com a colonização, vieram os portugueses, sob o primeiro comando do Alferes Julião Fernandes Leão. Em 1892, chegou ao pequeno povoado Cypriano de Souza, acompanhado de numerosa família, vindo de Santa Rita (depois Medina); esse novo morador deu incremento à vida do lugar, iniciando amplas plantações e construindo, sob a orientação do Padre Emereciano Alves de Oliveira, a primeira Capela, onde, a 6 de agosto de 1900, foi celebrada a primeira festa do Senhor do Bonfim, padroeiro do lugar. Por essa época, chegou ao povoado o gaúcho Manoel Luiz, chefiando cerca de duas centenas de barncos e indios, que se atiraram aos trabalhos da lavoura e se radicaram na foz do Ribeirão Anta Podre, consolidando de vez, o arraial. 

O topônimo é o de um chefe indígena, da tribo dos botocudos, o "tucháua" Joahima. Entretanto, o primeiro nome foi "Quartel" ou "Quartel de Água Branca", nome do córrego às margens do qual foi instalado um Quartel da 7ª Divisão Militar de São Miguel. Com o crescimento da aldeia, foi necessário criar mais um Quartel e o lugar passou a denominar-se "Quartéis do Bonfim", em homenagem ao Padroeiro do lo/al, Nosso Senhor do Bonfim. Através da Lei nº 556, de 30/08/1911, o povoado foi elevado à categoria de Distrito, do recém criado município de São Miguel de Jequitinhonha, com o nome de Bonfim de Joahima. Com a emancipação política, em 27/12/1948, através da Lei nº 336, o município recebeu o nome de Joaíma, em homenagem ao chefe indígena Joahima. 



A denominação Botocudos foi dada pelos brancos, que observaram neles o uso característico do batoque ou botoque no lábio inferior ou nos lóbulos das orelhas. O batoque era uma rodela de madeira branca, geralmente de paineira ou barriguda, medindo até 12 centímetros de diâmetro, que depois de seca ao fogo, era introduzida por uma espécie de botão no lábio inferior e nos lóbulos das orelhas. Já por volta de sete a oito anos de idade, o pequeno índio começa a usar o batoque, que ia sendo trocado conforme o indiozinho ia crescendo.
fonte - IBGE

domingo, 26 de junho de 2011

COMPARTILHANDO IMAGENS - OBSERVANDO JOAÍMA POR ÂNGULOS DIFERENTES


Joaíma nos seduz por sua exuberância, paisagens, arquitetura e pela diversidade de espaços oferecidos. A maneira como esses lugares são vistos diferenciam-se pelos olhares de cada um. O que pode parecer insignificante para um, pode ser muito importante para o outro, e vice-versa.







sábado, 25 de junho de 2011

O PITORESCO DAS RUAS ANTIGAS DE JOAÍMA - "A RUA DO CANSANÇÃO""



O nome está relacionado à grande quantidade de plantas chamadas cansanção que cresciam   nas imediações da rua.

Serviu de palco para  leilões agropecuários abrigando a 1ª SEMANA RURALISTA DE JOAÍMA - (04 a 07 de Setembro de 1964), sendo no local o 1º Parque de Exposições de Joaíma com pavilhões de madeira tosca cobertos de palha de coqueiro, os currais da mesma forma, cocheiros de tábuas para ração e tina de madeira para água, além de um palanque coberto onde era adaptado um amplificador com auto-falantes em torno da pista. Ofertados  por D. Maria Araújo, Cirilo Quaresma, João Miranda, Dr. Antônio Soares da Cunha Peixoto, Argileu Cunha, Lívio Araújo e Sr. Pedro Lemos.Tornou-se o maior mutirão agropecuário realizado em toda  região.




quinta-feira, 23 de junho de 2011

RELIGIÃO - CORPUS CHRISTI E SIGNIFICADOS


Hoje, 23 de Junho, a Igreja Católica, em todo o mundo, comemora o dia de Corpus Christi. Nome que vem do latim e significa “Corpo de Cristo”.

A festa de Corpus Christi tem por objetivo celebrar solenemente o mistério da Eucaristia - o Sacramento do Corpo e do Sangue de Jesus Cristo.
Acontece sempre em uma quinta-feira, em alusão à Quinta-feira Santa, quando se deu a instituição deste sacramento. Durante a última ceia de Jesus com seus apóstolos, Ele mandou que celebrassem Sua lembrança comendo o pão e bebendo o vinho que se transformariam em seu Corpo e Sangue.




Origem da Celebração



A celebração teve origem em 1243, em Liège, na Bélgica, no século XIII, quando a freira Juliana de Cornion teria tido visões de Cristo demonstrando-lhe desejo de que o mistério da Eucaristia fosse celebrado com destaque.
Em 1264, o Papa Urbano IV através da Bula Papal "Trasnsiturus de hoc mundo", estendeu a festa para toda a Igreja, pedindo a São Tomás de Aquino que preparasse as leituras e textos litúrgicos que, até hoje, são usados durante a celebração. Compôs o hino “Lauda Sion Salvatorem” (Louva, ó Sião, o Salvador), ainda hoje usado e cantado nas liturgias do dia pelos mais de 400 mil sacerdotes nos cinco continentes.
A procissão com a Hóstia consagrada conduzida em um ostensório é datada de 1274. Foi na época barroca, contudo, que ela se tornou um grande cortejo de ação de graças.






No Brasil


No Brasil, a festa passou a integrar o calendário religioso de Brasília, em 1961, quando uma pequena procissão saiu da Igreja de madeira de Santo Antônio e seguiu até a Igrejinha de Nossa Senhora de Fátima. A tradição de enfeitar as ruas surgiu em Ouro Preto, cidade histórica do interior de Minas Gerais.
A celebração de Corpus Christi consta de uma missa, procissão e adoração ao Santíssimo Sacramento.
A procissão lembra a caminhada do povo de Deus, que é peregrino, em busca da Terra Prometida. No Antigo Testamento esse povo foi alimentado com maná, no deserto. Hoje, ele é alimentado com o próprio Corpo de Cristo.
Durante a Missa o celebrante consagra duas hóstias: uma é consumida e a outra, apresentada aos fiéis para adoração. Essa hóstia permanece no meio da comunidade, como sinal da presença de Cristo vivo no coração de sua Igreja.

Fonte de Pesquisas - Canção Nova notícias -




Fotos abaixo. Celebração  de Corpus Christi Na Igreja Matriz  Bom Jesus de Joaíma



quarta-feira, 22 de junho de 2011

O PITORESCO DAS RUAS ANTIGAS DE JOAÍMA - "A BAIXA QUENTE"


Região de baixada, situada ás margens do rio São Miguel, na confluência com o ribeirão de água Branca, próximo aos Quartéis (Centro Histórico Municipal), sempre alagada nos períodos chuvosos. Na região havia muitas moradias próximo à ponte que dava acesso ao centro  e possuía muitas vendas onde se comercializavam cachaças e afins.  Constantemente  ocorriam brigas entre os freqüentadores que resultavam em agressões físicas e verbais com o uso de armas de fogo e facas, daí nasceu a denominação de Baixa Quente.

Fotos abaixo: Aspectos da Vila Operária (Baixa Quente).  Nos dias de hoje  a Vila Operária(antiga Baixa Quente) conta com uma bela reserva florestal  (O BOSQUE), asfalto,  lavajato (André), Igreja Evangélica (Assembléia de Deus), produção de vasos e filtros de cerâmica (Hudson), oficina mecânica (Toninho de ioiô), olarias e uma adutora de rede de esgostos (COPASA).










terça-feira, 21 de junho de 2011

25º Festivale – O festival chega a Joaíma nos 25 anos de celebração da cultura popular do Vale do Jequitinhonha.



Desde 1980, o Festivale celebra a produção cultural  do Vale. Música, grupos folclóricos, oficinas, feira de artesanato, noite literária e exposições em 7 dias de eventos, cada ano em uma cidade. Em 2007, o festival chega a Joaíma, no Baixo Jequitinhonha. Veja fotos e vídeo  relacionados a este grande evento cultural ocorrido em nossa cidade.